You Suck at Photoshop

Se você não sabe nada de Photoshop, ou sabe um pouco, mas não tem a menor confiança para sequer abrir o programa: you suck at Photoshop. Mas não se desespere, o mundo não vai acabar por isso. Um cara teve paciência e muita força de vontade para fazer vários tutoriais, ensinando passo a passo como fazer mágica no programa. Ele leva tão a sério essa proposta que dividiu em temporadas os vídeos tutoriais. Se você suck at Photoshop, já está na hora de move your fat ass and do something, right?!

You Suck at Photoshop Website

http://www.mydamnchannel.com/You_Suck_at_Photoshop/Season_1/1DistortWarpandLayerEffects_1373.aspx

03/06/2009 at 23:41 Deixe um comentário

#6 Quem ama publicidade, vive publicidade

cercados

[Tradução: Glória Perez]

Olha lá aqueles pandas. Eles acham que porque temos os olhos pequenos, não enxergamos. Vamos pegá-los. Vocês ai, parados! “-Ô meu grande senhor, estávamos só admirando a imponência da sua construção. Já estamos de saída, não é mesmo minha querida?” “-Sim, meu amor. Vamos voltar para o restante do grupo”. Vocês não vão a lugar algum.

- Para onde vocês estão nos levando?” Relaxa, não vamos levar vocês para o Sr. Nike, temos outros planos. “-Meus queridos, nada contra chineses, acho ótimo, mas ser estuprada assim, sem mais nem menos, não é o que eu planejei para essas férias”. Sua anta, não somos chineses, somos vietnamitas. E quem disse que vamos te estuprar. A gente só vai sequestrar vocês. “-E eu reclamando de boca cheia, né, Jackie Chan”.

Pois bem, aqui é onde vocês vão ficar até cumprirem o seu papel. “-Olha, eu sei que vocês têm a sua causa, MST, LGBTT e essas brigas de minoria, mas o que nós temos a ver com isso?” É simples. Nós queremos fugir. Caímos aqui quando tentávamos chegar a um lugar onde se vive publicidade. Precisamos de vocês para botar nosso plano em prática. “-E que plano seria esse?

É simples. Vocês só precisam convencer o Sr. Nike a nos libertar. “-Nossa, por que não pensamos nisso antes?!” “-Eu tenho uma idéia melhor. Me digam, o que tira o Sr. Nike do sério?” Bom, tirando os lançamentos da Adidas, acho que só mesmo o ciúme que ele tem da filha. O motorista, menino Robson, segue ela para todos os lugares. “- Pronto, já sei. Vocês têm um celular ai?” Temos sim, mas ele é da Claro, nunca funciona. “Calma, meu chip é sem fronteiras. Vamos passar um pequeno trote no Sr. Nike. Enquanto estiver com ele no telefone, vocês aproveitam e arranjem qualquer forma de transporte para nos tirar daqui”.

Oi, pai, tudo bem? Eu sei, estou meio rouca. É porque eu preciso te dizer uma coisa… Não, eu te amo, mas não é isso. Não sei muito bem por onde começar. É, porque, eu meio que depois da festa da Marcinha, eu acabei fazendo e… Calma pai, eu estou bem, é só porque eu meio que estou grávida, como faz? Não, pai, vai dar tudo certo. O Robson vai ajudar a criar o nosso bebê. Que Robson? Ora pai, o nosso motorista, né? O quê? Está tendo um enfarte? Não, só um derrame. Calma pai, respira igual você fazia quando estava com a secretária. Isso, acho melhor o senhor tomar um calmante. Isso, muito bem, a gente se fala mais tarde. Beijos pai.”

Pronto, agora vamos buscar os outros na praia. Olhem eles ali, entrem nessa lancha! “-Mas isso é um pedalinho em forma de tênis. Não vai nos suportar.” Gente, que criança mais intrometida. “-Não fala assim com ela. Ela pode chorar”. “-Eu vou ignorar esse comentário. Que pé mais estranho que esses chineses têm”. “-Calma gente. Não vamos brigar. Finalmente estamos indo viver publicidade. Já passamos por muita coisa, empregos frustrados, dias sem fim, hobbys estranhos. Mas tudo vai mudar. Eu já consigo ver. Para quem ama publicidade, chegou a hora de viver publicidade”.

História com fim e ele é aqui.

A história acabou, as inscrições para a seleção também, mas esse blog continua vivo e bem ativo. Durante a próxima semana, acompanhe os posts e confira várias referências que vão ajudar muito quem comprou sua passagem para viver publicidade. Boa sorte a todos que fizeram sua inscrição!

30/05/2009 at 04:25 Deixe um comentário

#5 Dude, we’re lost.

aviao

Finalmente esse voo vai partir.  Não aguentava mais esperar, eu preciso viver publicidade. Eu até tentei trazer mais pessoas comigo, mas é incrível como poucas têm coragem de lutar por isso. Eu não sou do tipo que desiste. Quando surge algo eu vou lá e resolvo. Nem que eu tenha que inventar uma solução.

Nossa, como aquelas pessoas conversam. Estão tão animadas, sorridentes. Peraí, eu estou reconhecendo a reação deles. Ei, vocês ai! “-Oi, tudo bem. Você também tá indo pra lá, né?” Sim, eu sabia que vocês também iam. “-Você me parece familiar. De onde será que eu te conheço?” Bom, não sei, mas agora que seremos vizinhos, todos seremos familiares.

Eu não vejo a hora de chegar lá. Eu quero produzir tudo o que eu sempre sonhei. Vou tornar realidade todas as minhas idéias e… “Eu já sei de onde eu te conheço. Eu me lembro da sua voz. Você era o cara da linha cruzada. Foi você quem salvou a minha vida. Eu devo tudo a você. Vem aqui, me dá um abraço”.

Está tudo tão perfeito. Estou finalmente indo para onde eu pertenço. E ainda ganhei um abraço da garota da linha cruzada. Eu não posso acreditar. Me belisca, vai, pode beliscar. “-Caros futuros publicitários, suspendam os beliscos. Infelizmente, estamos caindo. Não há nada que possa ser feito. Somente segurem, pois vamos bater”.

Ai, que luz forte é essa. Gente, será que eu morri? “-Calma, garotão. A gente caiu e acabamos numa ilha. Eu e a menina Google estamos pensando em fazer uma barraca. A Telemarketing-Jamais e o Vendedor-Deus-me-livre foram explorar as redondezas. Vem ajudar a gente”. Estava bom demais para ser verdade. Vamos lá. Tomara que aqueles dois estejam a salvo.

-Você tá vendo aquilo ali, Telegirl?”. “-Eu já disse para você não me chamar assim. Por que vocês insistem com isso? Mas O QUE? É uma miragem, só pode ser”.  “-Calma, se nós dois estamos vendo é porque existe de verdade.” “- Não é possível, eu não estou acreditando. Como uma fábrica da Nike foi parar aqui?”. “Eu não sei. Mas a pergunta é: como eles trouxeram tantos chineses para cá?”. “-Eu to com medo, vendedor. Me abraça”. “-Vem cá, meu bem. Eu te protejo. AI, não precisava bater”. “-Eu disse abraçar, não beijar”. “-Olha o que você fez. A máfia de Mao está vindo para cá”.

Enquanto a história não continua, que tal aumentar a sua bagagem?

Direção de arte: IdeaFixa
Redação: Icaro Dória, o cara.
Marketing: Marketing Direto
Produção: Sundown Protective
Atendimento: Brifando parte II

29/05/2009 at 19:05 Deixe um comentário

Olá, tudo bom? Sou Atendimento

Já imaginou estar no meio do palco e esquecer sua fala? O que você faria? Fingiria um derrame ou convenceria a todos só com o improviso? Se você escolheu a segunda opção, o atendimento pode ser a sua área. Saber lidar com qualquer situação, ter simpatia e bastante jogo de cintura são características importantes para exercer essa função.

O atendimento está em contato direto com o cliente. Por isso, deve conhecer tudo sobre ele para perceber quais são os seus problemas antes mesmo de levá-los para a agência. Isso garante com que o trabalho siga de acordo com os objetivos traçados. Para conseguir esse resultado, ele precisa ser perspicaz, capaz de detectar oportunidades que poderão beneficiar tanto o cliente como a agência.


Exemplo de como não ser um bom atendimento.

O grande Ogilvy já dizia que é inútil ser criativo ao menos que você saiba vender o que você cria. Por isso, na Doisnovemeia o atendimento é um integrador de processos. Ele conecta as áreas e relaciona as ideias para que o trabalho se desenvolva sem perder o foco. Ao organizar os afazeres da agência, ele participa de todas as etapas do trabalho. Assim, fica muito mais fácil defender os projetos realizados pela equipe. Um bom atendimento faz de tudo para que o trabalho saia de acordo com o previsto. Ele busca saber um pouco de tudo, é completo.

Deste modo, ter sede de conhecimento é fundamental. Para gerenciar os processos da melhor forma possível, ele precisa ter características de liderança, raciocínio lógico e, acima de tudo, praticidade. O atendimento está sempre em contato com pessoas, e deve saber lidar com elas. Muitas vezes, ele acaba se encontrando em situações difíceis, mas com carisma e versatilidade ninguém consegue pará-lo.

Quer saber mais de atendimento?

Sites
Atendimento Publicitário | Gaprj | CHMKT | Updateordie | Promoplanners | Blogpulso | Planejamento Criativo

Livros:
– BORGES, Admir. O Executivo de Contas Publicitárias: de contato a consultor de comunicação. Belo Horizonte: FUMEC/FCH, 2002.
– CORREA, Roberto. Atendimento na Agência de Comunicação. São Paulo: Global, 2006
– SOLOMON, Robert. The Art of Client Service, Revised and Updated Edition: 58 Things Every Advertising & Marketing Professional Should Know. Kaplan, 2008.

· SOLOMON, Robert. The Art of Client Service, Revised and Updated Edition: 58 Things Every Advertising & Marketing Professional Should Know. Kaplan, 2008.

29/05/2009 at 05:04 Deixe um comentário

#4 Save-me!

naotrabalhoaqui

Vocês querem praia, solzão e água fresca? Eu tenho a resposta. O pacote tour praias brancas é a melhor opção. São bem vazias, quase desertas. O sol, não aparece sempre, vocês vão poder dormir até mais tarde. E água fresca? Bom, enfim, é uma ótima oportunidade. Só passar no caixa e tudo resolvido. Muito Obrigado.

Lá vai mais um casal. Meu sonho era sair daqui e deixar de ser um vendedor. Eu gosto de trabalhar com pessoas, me dou bem com elas. Sei negociar e consigo me virar em qualquer situação, até quando o cliente tem uma voz diferente. Mas detesto vender dafra por honda. Eu queria fazer de tudo para o meu produto ser o melhor.

Mas como fazer isso trabalhando aqui? Tudo o que me pedem é para vender qualquer coisa, não importa o que seja. Eu odeio ser vendedor. “Oi, moço, você ai vendedor. Pode nos atender?” Do que você me chamou mesmo? “-Vendedor, oras”. Você não sabe o grande erro que acaba de cometer. “-Calma, eu não queria te ofender, você é vendedora?

Eu acerto a jugular ou sorrio e vendo o pacote deserto total? “-A gente só queria uma informação. Você sabe como chegar ao lugar onde se vive publicidade?” Claro que não, se eu soubesse não estaria aqui. “-Mas essa agência de turismo vendia passagens para lá.” MENTIRA! Eu amo vocês. Como eu nunca soube disso? Se eu puder viver publicidade, tudo o que eu sempre quis vai se realizar. Vamos revirar todos os arquivos.

-Que empoeirado aqui”. Nem comento, mas vocês acham mesmo interessante levar uma criança para uma viagem dessas? “-Eu vou ignorar esse comentário”. “-ACHEI”. Boa telemarketing. Deixa eu ver. MENTIRA! A agência ainda faz viagens para lá. Vamos agora, eu descolo umas passagens para a gente.

Vocês bem que podiam ter um carro maior, né? “-Foi o que eu disse. Mas a criança nunca tem razão”. Aham, tudo bem, agora senta lá querida. Nós já chegamos. Nossa, a fila está gigantesca. Nunca pensei que tantas pessoas fossem querer viver publicidade. “-Muitas querem, mas poucas têm a passagem. Vamos entrar logo, não quero perder nenhum segundo”. Eita, tem um rapaz ali que também tem uma passagem. Como será que ele conseguiu?

Enquanto a história não continua, que tal aumentar a sua bagagem?

Direção de Arte: Revista Zupi
Redação: Você tem que conseguir.
Marketing: Campanhas de marketing dominam
Produção: “The air that cools your home, heats up the world.”
Atendimento: Brifando. Parte: 1

28/05/2009 at 20:06 Deixe um comentário

Produção de ideias

Para ser um bom produtor, você não deve viver de sonhos, deve realizá-los. Uma ideia só tem sentido se for concretizada, e é isso que a produção faz. Escolhendo o material que será utilizado e pesquisando o custo, ela viabiliza da melhor maneira possível todas as peças da agência.

Mas a produção não para por ai. É preciso ter curiosidade, criatividade e muita disposição para garantir a qualidade do resultado final. O produtor trabalha junto com a criação para propor soluções e ideias que estejam ligadas ao conceito e à linha criativa.

original_thunder original_bonfire original_typewriter

Por isso, ele mergulha em novos processos gráficos, descobre papeis e cores, pesquisa outros materiais de mídia externa. Tudo isso influencia diretamente no quanto uma peça vai chamar a atenção do público.

É a partir do seu conhecimento que será possível pensar em alternativas inovadoras para as peças. Assim, a curiosidade é fundamental para quem trabalha na produção. Buscar informações novas, estar ligado às inovações do mercado e, principalmente, ser criativo são as principais características de um bom produtor. Para quem tem tantas ideias, seria um desperdício não as colocar em prática.

Quer saber mais de produção?

Bem Legaus! | Cartões de visita | Caixa túnel | Bolsa Mágica | Law & Order | Coca Cola Reciclada

27/05/2009 at 02:47 3 comentários

Ação com arte

Quem trabalha com direção de arte tem um mundo de escolhas à sua volta. E elas não ficam apenas entre o azul ou o amarelo. Para realçar a mensagem e prender a atenção, ele pode escolher entre colagem ou aquarela, fotografia ou ilustração, colorido ou preto e branco.

Mas não perca tempo fazendo probabilidades. O diretor de arte sabe bem como tomar decisões e define tudo buscando se adequar à linguagem escolhida, ao público-alvo e à imagem do cliente. Para isso, ele constrói conceitos e compõe a peça com elementos visuais, como tipografia, cores e formas.

Na Doisnovemeia, a direção de arte se junta com a redação para elaborar as peças. Para trabalhar aqui, não é preciso saber tudo sobre elementos visuais e composição, mas deve ser interessado. Conhecer os programas não é obrigatório, mas ter vontade de aprender é essencial.

Por isso, a principal tarefa para quem quer trabalhar na área é se alimentar de muitas referências. Buscar mais sobre design, ilustrações, história da arte, visitar exposições, ver muitos filmes, devorar livros, isso tudo ajuda no processo criativo.

Vivemos em um mundo de signos e quanto mais contato tivermos com eles, mais preparados para criar estaremos. Assim, um bom criativo é curioso e sensitivo. Quem faz direção de arte enxerga o mundo com outros olhos. Você está pronto para mudar de foco?eye1

Sites:
Blue Vertigo
| NOTCOT | Devianart | ILoveTypography | Espaço Design

Livros:
SAMARA, TIMOTHY, Grid – Construção e desconstrução. São Paulo: Cosac Nayf, 2007.
LUPTON, ELLEN, Pensar com tipos. São Paulo: Cosac Naify, 2006.
HURLBURT, Allen. Layout: o design da página impressa. São Paulo: Nobel, 1986.
RIBEIRO, Milton. Planejamento Visual Gráfico. Brasília: Linha Gráfica, 1983.

27/05/2009 at 00:06 1 comentário

Posts mais antigos


Categorias

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.